Arma M79 do FreeFire: História e Curiosidades

Olá, sobreviventes, hoje vamos conhecer um pouco mais das curiosidades da tão polêmica Arma M79 do Free Fire, para os íntimos lança “véi”. Ela foi adicionada ao game no dia 18 de abril de 2018 e desde o início gerou muitos fãs e críticos ferrenhos.

Primeiramente vamos conhecer alguns detalhes e Curiosidades sobre a M79

Pouco tempo após o início da Guerra do Vietnã, o exército dos Estados Unidos investiu em um projeto cujo objetivo era criar uma arma que lançasse explosivos em lugares mais distantes do que as armas que eles tinham no momento. Esse projeto se chamava Project Niblick.

Além da Arma M79 FreeFire Conheça também as as Armas P90, Scar e a AK47.

Naquela época, havia duas armas para essa finalidade. Os Rifles de Granadasque eram basicamente uma arma feita para lançar granadas comuns mais longe do que se pode jogar com a mão, e os Morteiros, que digamos não eram lá algo muito móvel. A galera do projeto até conseguiu criar granadas maiores, mas não conseguiram criar um lançador melhor que a M79, que pudesse lançar mais de uma sem precisar recarregar após cada tiro. Quando conseguiram, se depararam com vários outros problemas que fizeram com que a M79 fosse adotada como a arma “oficial” desse tipo, em 1960.

No ano seguinte os lotes de Lança Granadas M79 foram entregues aos soldados americanos. Os soldados gostaram bastante, devido a sua facilidade de uso, confiabilidade e alto poder de fogo. Passou a ser chamada de “Artilharia do Líder do Pelotão”. No começo da Guerra do Vietnã, quase todos os squads das forças americanas tinham um ou mais granadeiros. As forças marítimas tinham pelo menos um em cada formação. Era uma arma e tanto!

Outra curiosidade. Nos países em que foi usada, ela era também conhecida como “Blooper”. Sabe porquê? É devido à baixa velocidade com que a munição sai da arma, o que faz um barulho diferente do que estamos acostumados a ouvir em armas. É literalmente um ‘bloop’!

Afinal quais são os tipos de Munição

Arma M79 do Free Fire tinha a possibilidade de utilizar diferentes tipos de granadas para diferentes propósitos, novamente contribuindo para sua flexibilidade. Os principais tipos:

As granadas explosivas eram disparadas a uma velocidade de 75 metros por segundo, se espalhavam em centenas de microfragmentos que devastavam inimigos em um raio de 5 metros da área de explosão. Essas munições tinham um dispositivo acoplado que impedia que ela se detonasse enquanto estivesse a menos de 30 m de quem a atirou. Quando atiradas em alguém a curta distância, elas não acumulavam energia cinética suficiente (ou seja, não chegavam a uma velocidade suficiente) para serem letais, mas ainda assim machucavam bastante. As granadas de curto alcance eram granadas do tipo buckshot, feitas de metais finíssimos que se estilhaçavam e machucavam muito quem estivesse por perto. Imagina elas como umas SPAS12 só que de longo alcance. São várias mini-explosões após o tiro! Dá uma olhada:

(Um tiro de M79 com uma munição especial para curtas distâncias. Repare como é preciso apoiar a arma nos ombros. As granadas não-letais eram versões de granadas que em vez de tentar matar os inimigos, tinham como objetivo criar efeitos de controle de grupo(crowd control) para confundir os inimigos. Eram bombas de gás, ou de dispersão de massas, etc.)

Além disso a Arma M79 do FreeFire tem sérias limitações…

O Lança Granadas é uma arma muito grande. Imagina uma “Doze” com um cano quatro vezes mais largo, tão largo que pra atirar você precisa apoiar a arma nos ombros. Isso tinha um impacto muito negativo durante uma batalha: O soldado responsável por carregar essa arma era incapaz de carregar simultaneamente um rifle ou qualquer outra arma que não fosse uma pistola. Essa situação piora quando levamos em conta que a M79 é uma arma single shot, ou seja, precisa recarregar após cada tiro; é incapaz de causar um dano constante para pressionar as forças inimigas. Também era fraca a curta distância, e por isso chegaram a criar granadas especiais que pudessem ser usadas de perto – mas não era tão fácil para o soldado trocar de munição no calor da batalha…

Foi então que investiram na criação de Rifles que pudessem lançar granadas também, como uma opção secundária. Uma arma que oferecesse mais flexibilidade para o soldado. Em 1969, a Colt M203 passou a ser a arma preferida para esse propósito, substituindo a M79 no fim da guerra.

Mas a M79 ainda vive. Ainda hoje ela é usada para operações especiais, onde suas características são mais valiosas do que as das armas mais modernas. De fato, ela tem alcance bem superior (350m em vez de 150m) e maior precisão, além de ser mais leve. Recentemente, esse

Lança Granadas foi usado pelas forças armadas especiais dos Estados Unidos e da US Navy SEALs em confrontos no Iraque.

 Conclusão

Gostou de saber um pouco mais sobre essa arma que com certeza foi responsável por muita dor de cabeça aos nossos sobreviventes, não esqueça de deixar o like e comentar. Ate a próxima !!!

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
Rolar para cima